O Posto

2011

 
 

O POSTO

(RJ, 2005, cor, 16mm, 15′)


 
 

SINOPSE: Num local completamente deserto, um guarda vigia uma enorme caixa de madeira cujo conteúdo não pode ser revelado. Com a chegada de um misterioso viajante, o guarda passa a questionar qual o sentido de sua missão.

FICHA TÉCNICA: Roteiro e Direção: Marcelo Ikeda. Fotografia: Daniel Neves. Montagem: Tatiana Carvalho. Direção de Arte: Marcella Morizot. Assistente de Direção: Ivo Lopes Araújo. Trilha Sonora Original: Luiz e Ricardo Pretti. Elenco: Rodrigo Oliveira (“Guarda”), Bruno Ferrari (“Viajante”), Filipe Cangussú (Menino).

DECLARAÇÃO DO DIRETOR: O POSTO é um projeto bastante diferente e ao mesmo tempo bastante similar a meus outros curtas-metragens. Nesse projeto, busquei fazer um trabalho essencialmente narrativo mas que tivesse um vigor de linguagem – no uso da câmera, na montagem e no som –, e que fosse, a meu modo, uma espécie de declaração de princípios do que busco no cinema, do que pretendo fazer em meus trabalhos posteriores. Procurei fazer um trabalho simples, todo passado em uma única locação e com dois atores. Quis também colocar minha influência de cinéfilo, com referências que vão de Cidadão Kane a Morangos Silvestres. O POSTO é uma espécie de “conto moral”, passado num tempo e local indefinidos. É também uma pequena e modesta reflexão sobre como o poder é uma grande ilusão.
A história deste curta é a de um guarda, com sua obsessão pela vigilância, pela disciplina e pela racionalidade. Com a chegada de um viajante, o guarda passa por um sentimento de crise: crise de sua missão de tomar conta de uma caixa, crise de sua própria identidade pessoal. O guarda passa pela primeira vez a questionar a si mesmo, a se deparar com seus próprios limites, com a miserabilidade de sua condição. A liberdade do viajante passa a ser uma ameaça à vida de segurança e sem riscos do guarda. Mas rompido esse casulo, o que resta ao guarda, além de sua medíocre ilusão de poder? Desfeita a ilusão, quem passa a ser esse guarda?

 
 

Anúncios